Comemoração pelo fim de governo Mubarak no Egito entra na madrugada


Presidente, que estava há 30 anos no cargo, renunciou nesta sexta-feira. Povo, que pedia saída imediata havia 18 dias, comemora nas ruas do país

As comemorações pelo fim de 30 anos do governo de Hosni Mubarak no Egito entrou na madrugada de sábado (12) no país, com uma multidão ainda nas ruas das principais cidades do país.
Em Ismailia, no norte do país, multidões celebram e sacodem bandeiras do Egito, enquanto em Suez, os militares estão no centro das comemorações.
As duas cidades testemunharam alguns dos maiores confrontos entre manifestantes anti e pró Mubarak nas últimas semanas, assim com enfrentamentos com forças de segurança.
Hosni Mubarak, de 82 anos, renunciou ao cargo nesta sexta-feira (11), após um governo de quase 30 anos e que era contestado desde 25 de janeiro por grandes manifestações populares.
Fogos celebram fim de 30 anos do governo Mubarak na praça Tahrir, epicentro dos protestos no Cairo (Foto: Marco Longari / AFP)
Fogos celebram fim de 30 anos do governo Mubarak na praça Tahrir, epicentro dos protestos no Cairo (Foto: Marco Longari / AFP)
O anúncio da renúncia foi feito pelo recém-nomeado vice-presidente do Egito, Omar Suleiman, em um curto pronunciamento na TV estatal. Mubarak entregou o poder ao Exército, disse Suleiman, com ar grave.
"O presidente Mohammed Hosni Mubarak decidiu deixar o cargo de presidente da república e encarregou o Alto Conselho Militar de cuidar das questões de Estado", disse Suleiman.
Os crescentes protestos que derrubaram Mubarak deixaram mais de 300 mortos e 5.000 feridos. Eles começaram em 25 de janeiro, inspirados pela queda do presidente da Tunísia, e tiveram impulso na internet, que comemorou a queda do ditador.
Espera-se que a queda do regime Mubarak abale outros governos autoritários do mundo árabe.
O vice-presidente do Egito, Omar Suleiman, anuncia nesta sexta-feira (11) a renúncia de Hosni Mubarak (Foto: AP)

O vice-presidente do Egito, Omar Suleiman, anuncia nesta sexta-feira (11) a renúncia de Hosni Mubarak (Foto: AP)
Ainda não havia detalhes sobre como ocorrerá a transferência.
Um porta-voz disse que o Conselho Militar vai anunciar medidas para uma "fase de transição" no país, segundo comunicado lido na TV estatal. O conselho também disse que "não há alternativa à legitimidade do povo".
O ministro da Defesa, Mohamed Hussein Tantawi, deve ser o chefe do conselho, segundo fontes militares. Ele passou em frente ao palácio presidencial, no Cairo, no início da noite desta sexta, saudando a multidão.
O conselho poderia derrubar o gabinete de ministros de Mubarak, fechar as duas casas do Parlamento e governar diretamente com a Corte Constitucional, segundo a TV Al Arabiya.
O país tem eleições presidenciais marcadas para setembro.

2 comentários:

AC Rangel disse...

Como é bom ver o fim de uma ditadura. Qualquer que seja ela.
Como é bom ver a participação popular na construção de seu destino.
Faltam algumas.
Elas cairão.

C@Ká disse...

Concordo Plenamente, que não percamos a Esperança! Mesmo que "lentamente" as coisas de interesse universal acabam mudando!

Postar um comentário