Acabou o seu vinho?

Por Kássia Rocha

O que é mais verdadeiro em nós, as vezes nos falta, procuramos manter uma repleta estufa.

Na estufa aquecíamos os mais caros vinhos, nem sempre os clássicos – porém apurados.

Um vinho por mais que frisante – diversos trejeitos – iguale-os fielmente, pois é composto da mesma fruta. E a cada iguaria compõem-se um tipo de safra, portanto não rejeite aceite a importante representação que cada um fornece a uma devida e efetiva ocasião.

Caso aconteça um grande “equívoco” sob a Lei da Vida, ou seja, uma vitória esquecida, não permita que tudo se vá. O controle por mais que pequeno é necessário a hora precisa de servir-se um bom vinho ou dar Boa vinda.

Armazenamos dentro de nós a essência peculiar, a safra distinta que nos cabe guardar como o ultimo gole de esperança, num dia glorioso quem sabe Brindar!

0 comentários:

Postar um comentário