As estações: Um toque sobre as águas

Por Kássia Rocha
FOTOGRAFIA DE D.COMPOSED


Era abrigo olhar para as águas, me faziam pensar.
Era deixar as memórias ganhar formas, se espelhar.
Era ver os momentos correr entre os dedos, e tocar.
Era olhar para a correnteza sabendo que tudo iria passar

É não querer o lado escuro da sombra, que me segue.
É não suportar os trincar das águas frias do ermo córrego
É não entender o caminho cheio de curvas e obstáculos
É não segurar o choro quando tudo fica descontrolado

Sigo por córregos, rios e turbulentas águas, que limpam com força.
Corro o risco de ser levada entre águas e pedras, os galhos e troncos
Mas as águas me levam, imprevisivelmente, tentam me salvar.
Águas, que um dia insisti em tocar e deixar me levar.

Vejo o verde que contornam a minha chegada, és mirada.
Passam dias, e minha casa foi construída a beira de um rio.
Para que, todas as manhãs eu possa me lembrar das estações
Agora, o que me acompanha é o luar, as estrelas, um lindo amanhecer.

8 comentários:

Leticia Marques disse...

Amei o poema, principalmente neste verso "Mas as águas me levam, imprevisivelmente, tentam me salvar", parabéns, está muito bonito!

Mylena Araújo disse...

Que poema lindo muito profundo... Adorei
Parabéns
http://mylena--araujo.blogspot.com.br/
http://myllen18.wix.com/mylenaaraujo

Elane Miquele disse...

adorei o poema
parabéns, muito lindo mesmo!
http://perdidanashistorias.blogspot.com.br/

M Couto disse...

Bonito Poema! Parabéns mesmo! esse poema me tocou muito.
Água as vezes mata mas também a chuva é a salvação de quem muito sofre naquele nordeste árido. Quantas vezes o sertanejo olha para uma nuvenzinha no horizonte com esperança e ela não vem em forma de chuva para socorre-lo

Monique Aguiar Santana Suisso disse...

Muito lindo o poema. Amei demais !!! s2
Bjm doce

Fernanda Santos Navarro disse...

Lindo poema! Parabens!

Alexandre l. disse...

Muito bom, minha amiga. Gostei.

Alexandre l. disse...

Sublime, minha amiga! Adorei seu estilo.

Postar um comentário