30 mandamentos para ser Leitor, Escritor e Crítico

Fika a Dika, procure este Blog se gosta de escrever!
_____________________________________________________________________________


A revista
Entre Livros desse mês traz um belo decálogo x 3. Escrito por Alberto Mussa (é, aquele mesmo cujo livro eu desclassifiquei, na Copa de Literatura Brasileira), Miguel Sanches Neto e Michel Laub (outro participante da Copa), traz respectivamente à ordem dos nomes, mandamentos para ser leitor, escritor e crítico.
Do Alberto Mussa, eu destaco as dicas número 9 e 10, que são “problemas existenciais” de muitos leitores.
IX. A vida tem outras coisas muito boas. Por isso, não tenha pena de abandonar pelo meio os livros desinteressantes. O leitor experiente desenvolve a capacidade de perceber logo, em no máximo 30 páginas, se um livro será bom ou mau. Só não diga que um livro é ruim antes de ler pelo menos algumas linhas: nada pode ser tão estúpido quanto o preconceito.
X. Forme seu próprio cânone. Se não gostar de um clássico, não se sinta menos inteligente. Não se intimide quando um especialista diz que determinado autor é um gênio, e que o livro do gênio é historicamente fundamental. O fato de uma obra ser ou não importante é problema que tange a críticos; talvez a escritores. Não leve nenhum deles a sério; não leve a literatura a sério; não leve a vida a sério. E faça o seu próprio decálogo: neste momento, você será um leitor.
Do Miguel Sanches Neto, ressalto o primeiro conselho, do qual eu sou alvo diariamente: aquele bando de chatos mandando seus próprios textos para lermos.
I. Não fique mandando seus originais para todo mundo. Acontece que você escreve para ser lido extramuros, e deseja testar sua obra num terreno mais neutro. E não quer ficar a vida inteira escrevendo apenas para uma pessoa. O que fazer então para não virar um chato? No passado, eu aconselharia mandar os textos para jornais e revistas literárias, foi o que eu fiz quando era um iniciante bem iniciante. Mas os jovens agora têm uma arma mais democrática. Publicar na internet. Há muitos espaços coletivos, uma liberdade de inclusão de textos novos e você ainda pode criar seu próprio site ou blog, mas cuidado para não incomodar as pessoas, enviando mensagens e avisos para que leiam você
E do Michel Laub, não destaco nenhum item, apenas a introdução, cabendo a você ir ler ou não os 10 mandamentos para ser crítico literário:
Ler por obrigação, ganhar pouco, ser odiado por autores criticados ou ignorados por você. Ante tantos dissabores, saiba para que serve, afinal, fazer crítica literária
Gostou das amostras? Então passe no site da Entre Livros e leia as 30 dicas na íntegra. E de graça.

http://www.lendo.org/30-mandamentos-para-ser-leitor-escritor-e-critico/

0 comentários:

Postar um comentário